Divindades Hindús

O hinduísmo tem origem no subcontinente indiano. É frequentemente chamado de Sanātana Dharma (सनातन धर्म), que significa "a eterna (perpétua) dharma (lei)".
é uma das religiões mais antigas – alguns dos seus manuscritos sagrados são de 1400 a 1500 A.C. Também é uma das religiões mais diversas e complexas, possuindo milhões de deuses. Os hindus possuem uma grande variedade de crenças básicas e contêm muitas seitas diferentes. Apesar de ser a terceira maior religião do mundo, o Hinduísmo existe primeiramente na Índia, Nepal e em menor escala em alguns países ao redor.
Os textos principais do Hinduísmo são: Veda (considerado o mais importante), Upanishadas, Mahabharata e o Ramayana. Essas escrituras contêm hinos, encantamentos, filosofias, rituais, poemas, e histórias nas quais os hindus baseiam suas crenças. Outros textos usados pelo Hinduísmo são os Brahmanas, Sutras e os Aranyakas.
Nesta página pode encontrar informação mais detalhada sobre algumas das principais divindades e respetivos mantras.
Brahma

 

Brahma é o primeiro dos três grandes deuses Hindus que formam a Trimúrti, a trindade do hinduísmo.

É o Deus supremo, o Criador. Representa a mente cósmica.

Brahma tem quatro cabeças e de acordo com os Purãnas (escrituras) ele criou Sarasvati (sua consorte, Deusa do conhecimento), que corria de um lado para o outro e para cada lado que ela corria nascia uma cabeça. Assim ele é representado com quatro cabeças que representam os quatro vedas e todas as direções do conhecimento.

Em suas quatro mãos Brahma sustenta um lótus que simboliza a pureza (existem várias representações de Brahma em que aparece sentado nesta flor), os vedas, que são as escrituras sagradas e que contém todo o conhecimento da criação e o caminho para o conhecimento, um vaso contendo amrita (o néctar da imortalidade) e abaya mudrã (abençoa com destemor)

 

MANTRA

Shiva

Shiva é o terceiro deus da trindade hindu, é o destruidor (destrói para renovar).

A sua consorte é Parvati que, por sua vez , é também sua irmã e sua mãe.

Shiva é o poder de destruição ou transformação. A palavra destruição aqui deve ser entendida no sentido de que apenas será destruído aquilo que for possível de ser destruído. O Eu, ser absoluto é sempre existente, é Brahma, este não é destruído por nada. A destruição de Shiva é a destruição do aparente e que encobre a realidade absoluta, é a destruição da nossa própria ignorância. Shiva é o Deus da disciplina e criador do yoga.

Shiva é representado meditando nas neves do monte Kailasa, cuja brancura representa a mente purificada (sattvica) necessária para meditar; os olhos estão entreabertos mostrando que sua mente está absorta no ser enquanto o seu corpo se relaciona com o mundo;

No pescoço encontra-se uma cobra enrolada, que representa o ego; na cabeça a lua como enfeite (lua = memória); sua arma é o trishula ou tridente. Este simboliza não só a destruição do ego e seus três tipos de desejos: físicos, emocionais e mentais, mas também a transcendência dos três mundos, dos três gunas (sattva, rajas e tamas) e dos três períodos de tempo (passado, presente e futuro). Pendurado no trishula está o tambor de Shiva ou Damaru que representa o som, o fenômeno da criação - no movimento do trishula, ou das gunas, o tambor toca e a criação ocorre. O cabelo comprido mostra seu poder, todos os tipos de energia concentrados na busca do conhecimento. Do topo da sua cabeça nasce o Ganges (conhecimento, amrita); seu corpo está coberto de cinzas simbolizando a queima da ignorância, da ilusão e de todos os desejos;

 

 

MANTRA

 

Vishnú

Um dos três deuses que formam a trindade hindu. É o conservador da criação.

Simboliza o poder de manutenção do universo. Assume diferentes formas à sua vontade. Ele está em pé sobre um lótus de mil pétalas com uma concha (é o instrumento que devolve a união de todos os sons da criação, representa o som puro –Om - que traz a liberação para os seres humanos), um disco (ou chakra é o anel de luz que rodopia no dedo indicador de Vishnu. Ele é o símbolo do Dharma, o dever de fazer o que é certo e correto, também representa a roda do tempo), uma massa (ou clava é um instrumento para atacar os desejos, fonte de todo o sofrimento e insegurança) e um lótus nas mãos (é mostrado para que não esqueçamos a nossa meta que é encontrar a nós mesmos. O lótus cresce no lodo e permanece luminoso, radiante, inalterado pelo ambiente, abre suas pétalas ao primeiro raio de sol e fecha-se com o último).

A consorte de Vishnu é Lakshmi a Deusa de todas as riquezas da criação, incluindo as riquezas da mente e todas as virtudes.

 

MANTRA

Durga

A Deusa Durga é a mãe do universo e acredita-se que o poder por trás do trabalho de criação, preservação e destruição do mundo.

Durga nasceu da união dos sábios divinos, que se reuniram à volta de uma chama e cada um atirou uma parte da sua essência, para combater a força do mal. O poder de Shiva estava no seu rosto, o poder de Vishinu nos seus braços, o poder de Brahma nos pés. 

Desde tempos imemoriais, ela tem sido adorada como o poder supremo do ser supremo.

Tal como Shiva, Durga é também conhecida como "Triyambake", ou seja, a deusa de três olhos. O olho esquerdo representa o desejo (a lua), o olho direito representa a ação (o sol) e o conhecimento de olho central (fogo).

A Deusa Durga é adorada na sua forma pacífica como MahaGauri, a Senhora Justa.

É normalmente respresentada com um tigre, que representa o poder de destruição ou com um leão que representa a força e a proteção. Ela é o símbolo do Grande Feminino,  a força que anima a consciência. Ela é respeitada pelos seres celestiais e temida por seus inimigos.

 

Mantra

Ganesha

Ganesha é uma das mais conhecidas e veneradas representações de Deus na religião hindu. É o Deus da sabedoria e que afasta todos os obstáculos do caminho, sejam eles de ordem material ou espiritual e o Deus da boa fortuna, que proporciona prosperidade e riqueza. É também o Deus da prudência e da política. É ainda o protetor do matrimónio.

Ele é o primeiro filho de Shiva e Parvati e é considerado o mestre do intelecto e da sabedoria. É representado como uma divindade de corpo humano, com uma grande barriga (que contém universos infinitos). Simboliza a benevolência da natureza e equanimidade (ãnimo inabalável - a habilidade de Ganesha de sugar os sofrimentos do Universo e proteger o mundo), quatro braços (representam os quatro atributos do corpo sutil: mente (Manas), intelecto (Buddhi), ego (Ahamkara), e consciência condicionada (Chitta) e a cabeça de elefante (indica fidelidade, inteligência e poder discriminatório. As orelhas abertas denotam sabedoria, habilidade de escutar pessoas que procuram ajuda e para refletir verdades espirituais. Elas simbolizam a importância de escutar para poder assimilar ideias. A tromba curvada indica as potencialidades intelectuais que se manifestam na faculdade de discriminação entre o real e o irreal), com uma única presa (o fato de possuir apenas uma única presa, já que a outra está quebrada, indica a habilidade de Ganesha de superar todas as formas de dualismo), A posição de suas pernas (uma a descansar no chão e a outra em pé) indica a importância da vivência e participação no mundo material assim como no mundo espiritual, a habilidade de viver no mundo sem ser do mundo) e é transportado por num rato. Desta forma, Ganesha representa uma solução lógica para os problemas. Nas mãos Ganesha segura um machado, um símbolo da restrição de todos os desejos, que trazem dor e sofrimento, e com o qual repelir e destruir os obstáculos; um chicote cujo significado está ligado ao facto de os apegos mundanos e desejos terem de ser deixados de lado; Na terceira mão, que está em direção ao devoto, está em ude bênçãos, refúgio e proteção (abhaya);  A quarta mão segura uma flor de lótus (padma), e  simboliza o mais alto objetivo da evolução humana, a realização do seu verdadeiro eu;

Na testa tem desenhado o o Trishula (arma de Shiva, similar a um Tridente) que simboliza o tempo (passado, presente e futuro) e a superioridade de Ganesha sobre ele.

Ganesha é conhecido também como o destruidor da vaidade, egoísmo e orgulho.

Ele representa o perfeito equilíbrio entre a força e a bondade, o poder e a beleza. Também simboliza a capacidade de perceber a distinção entre verdade e ilusão, o real e o irreal.

Como deus destruidor dos obstáculos a sua graça é invocada antes de iniciar uma tarefa como viajar, realizar uma prova, concretizar um negócio ou fazer uma entrevista de trabalho. 

 

Mantra

Krishna

Krishna é considerado um dos mais populares e importantes avatares de Vishnu.

Costuma ser representado como um pastor, tocador de flauta, ou ainda como um sábio que dá os ensinamentos a Arjuna no campo de batalha. O seu nome significa “o todo atraente”. Nos Vedas encontram-se inúmeros nomes para Deus, pois a cada qualidade, pode ser atribuído um nome. Como Deus tem qualidades ilimitadas, teoricamente tem também um número ilimitado de nomes. O nome Krishna tem um significado muito especial, pois refere-se ao aspeto mais atraente, íntimo e completo de Deus.

Krishna é a Suprema Personalidade de Deus, a Verdade Absoluta, a fonte de tudo e a causa de todas as causas. Nas escrituras, especialmente o Srimad Bhagavatam, existem explicações detalhadas de Sua morada, Sua aparência, Seus passatempos, Suas expansões, Suas energias, etc. Ele possui seis características: a beleza, a força, a sabedoria, a riqueza, a fama e a renúncia. Ele sabe tudo que aconteceu, tudo que está acontecendo e tudo que vai acontecer e é infinitamente misericordioso. Ele é o beneficiário de todos os sacrifícios e austeridades, o Senhor Supremo de todos os planetas e semideuses e o benfeitor e bem-querente de todas as entidades vivas.

 

Mantra

Parvati

A deusa Parvati é uma das muitas formas de Shakti, a energia feminina do universo.

 A deusa Parvati é a força de animação que traz a habilidade, poder, coragem e génio, enquanto derrama a sua magia pelo mundo. 

 

Parvati representa a parte de nós mesmos que criativamente traz alimento, mesmo em meios que parecem apenas de rejeição e desaprovação.

Ela é uma afirmação maravilhosa de que não existem  limites para o que uma mulher pode fazer quando usa sua energia espiritual em busca de qualquer objetivo que escolha.
Quando abraçamos o amor, Parvati está lá para nos abençoar. 

 

Mantra

Kali

No panteão das divindades tântricas, Kali é mencionada como a primeira das 10 grandes Forças Cósmicas porque de alguma forma, é ela que começa o movimento da “Roda do Tempo Universal.

O nome KALI deriva da sua aparência, pois tem o corpo negro, o rosto vermelho e empunha uma espada invencível. O cabelo é longo e desalinhado e pode ser vista nua, símbolos da sua liberdade e independência.

Tem ainda olhos sedentos de sangue, uma boca com dentes grandes e afiados, um colar com 50 cabeças humanas decepadas, que representam as letras do alfabeto sânscrito,  brincos com corpos de anjos, (indicando que Ela está acima da luxúria), cobras enroladas nos braços e no pescoço que são usadas como armas para matar as suas vítimas.

Por vezes esta deusa é representada a dançar sobre SHIVA como uma furiosa guerreira num campo de batalha matando os seus adversários e tomando-lhes o sangue. Desta forma, demonstra a todos que até mesmo SHIVA é subjugado pela sua fúria.

As escrituras Védicas relatam que quando os guerreiros vão para uma batalha costumam invocar o nome de Kali para o sucesso contra os seus inimigos.

Kali combate a ignorância e a desonestidade humana. A língua representa a força ativa da palavra certa. Os cabelos longos e desalinhados a trama psicológica, na qual nos perdemos e os olhos firmes e fortes representam o despertar da consciência sobre si mesmo.

 

 

Mantra

Lakshmi

Deusa do amor, da beleza, da fortuna e da prosperidade. É a Esposa de Vishnu, nascida de um lago de leite. Surge normalmente representada como uma mulher muito bela e sedutora, com uma flor de lótus numas das mãos e com a outra,distribui riquezas aos seus adoradores.

 

MANTRA

Indra

É o rei dos deuses, deus dos guerreiros. Também é deus da Natureza (o deus das tempestades e das chuvas) e um dos guardiões do mundo. A sua principal tarefa é a de triunfar perpetuamente sobre o demónio Vala e o demónio Vritra, para conquistar a luz, a força, o paraíso e a iluminação.

È normalmente representado com um raio e com um arco, montado num elefante- Airavata, nascido num mar de leite.

 

Mantra

Sarasvati

É a esposa de Brahma, a deusa da sabedoria e da ciência, a mãe dos Vedas e do alfabeto "devanágari". É também deusa da música, surgindo representada como uma mulher bela, dotada de quatro braços e a tocar Sitar.

 

MANTRA

Kartikeya

Kartikeya, o segundo filho do senhor Shiva e deusa Parvati ou Shakti, é conhecido por muitos nomes como Subramaniam, Shadanana, Skanda e Guha.
Ele é uma encarnação da perfeição, um líder valente das forças de Deus e um Deus de guerra, que foi criado para destruir os demónios, que representam as tendências negativas nos seres humanos.

Outro nome atribuído a Kartikeya , Shadanana, que significa "aquele que tem seis cabeças" e que  correspondem aos cinco sentidos e à mente. As seis cabeças representam também as suas virtudes e permitem-lhe ver em todos os sentidos.

As imagens de guerra e as seis cabeças de Kartikeya indicam que para os seres humanos se conduzitem de forma eficiente na batalha da vida,  que devem estar alerta pois existem muitas pessoas a mostrar caminhos errados com os seis vícios demoníacos: kaama (sexo), krodha (raiva), lobha (cobiça), moha (paixão), mada (ego) e matsarya (ciúme).

Kartikeya carrega numa mão uma lança e com a outra mão está sempre a abençoar os seus devotos. Desloca-se num pavão, um pássaro pio que prende com as suas garras uma serpente, que simboliza o ego e os desejos das pessoas. O pavão representa o destruidor de hábitos nocivos e o conquistador de desejos sensuais. O simbolismo de Kartikeya, portanto, aponta para os meios de alcançar a perfeição na vida.

 

Mantra

 

Hanuman

LORD HANUMAN o Deus Macaco,devoto ardente de Deus Sri Rama,é adorado por milhões de pessoas na Índia. Hanuman é a incorporação da devoção,dedicação e força. Devotos rezam a Hanuman para remover os sofrimentos criados pelo Deus Saturno para os humanos e também para realizar os seus desejos. 

 

As lendas dizem que Hanuman possuía vários poderes místicos tais como tornar-se gigantesco ou minúsculo e voar como o vento. Ele é o filho de Vayu – o deus do vento, o ar da respiração e um dos deuses principais dos planetas superiores.
Hanuman é o deus da casta dos Kshatryas (guerreiros e admiradores).
Representa muita força e coragem nas batalhas da vida.
Os indianos fazem pojas pra o Lord Hanuman para conseguir coisas dificies : emprego,boas promoções ,vistos,solução de um problema enfim batalhas que Lord Hanuman ajuda com coragem e sabedoria aos que os procuram....

 

MANTRA

Rama

O grande herói do "Ramayana" (O Ramayana é um livro muito antigo e muito aclamado, o qual versa sobre uma encarnação, ou avatar, de Deus, o Senhor Supremo. Nessa encarnação, ficou conhecido como Ramachandra, ou simplesmente Rama. Enquanto mostrava o comportamento de um rei ideal e santo a sua vida foi repleta de grandes tribulações, atos de heroísmo e romance).

 Rama representa também um rei bondoso, marido ideal, chefe corajoso sempre pronto a lutar contra os exércitos que oprimam o seu povo. Avatar de Vishnu, é considerado como o senhor do autocontrolo e das virtudes. Sua mulher é Sita, a qual os indianos consideram ser um avatar de Lakshmi. Rama é  representado como um homem de cor roxa , com um arco numa das suas mãos e uma flecha na outra.

 

Mantra

Agni

Agni é o deus do fogo e é considerado como sendo uma das divindades mais relevantes dos Vedas (escrituras sagradas da Índia).

Ele é filho do céu e da terra. Quem lhe presta homenagem gozará de riquezas prosperidade e viverá muitos anos. É também o guia das viagens, o obreiro divino, a esperança do homem.

E o intermediário entre os deuses e os homens e protege todos aqueles que o invocam. Costuma ser representado como um homem roxo, de três pernas e sete braços. De cabelos e olhos pretos, de mandíbulas afiadas com chamas a sair pela boca.

 

Mantra

  • Facebook